Até que mais rodadas aconteçam sem registros de problemas, até que a tranquilidade se estabeleça, vai ser preciso continuar fazendo tudo certo. Ser exemplar. Não que seja previsível o campeonato que já registrou tantas polêmicas transcorra sem nenhum inconveniente. A rodada da re-volta, o segundo retorno, teve alta média de gols, grande atuação de Germán Cano, atropelamento do Volta Redonda sobre o Fluminense e dúvidas sobre os procedimentos depois dos testes positivos.

Em dez tópicos, os pontos mais importantes do estadual mais barulhento do Brasil:

1. O ADITIVO DO PROTOCOLO

A Federação do Estado do Rio publicou um complemento ao protocolo Jogo Seguro - Fase II, em 19 de junho. O aditivo diz: "A concentração não se faz necessária ou pode ser por tempo inferior a 48h caso seja utilizado o Teste Rápido para e, desta forma, servir como parâmetro de detecção do antígeno viral nas vias aéreas. A comprovação da realização do Teste Rápido para Covid-19 supre, a qualquer tempo, a necessidade de concentraão." Se o complemento está aprovado pela Secretaria de Saúde, está resolvido. Mas fica a pulga atrás da orelha. Se os jogadores que testaram positivo treinaram com todo o grupo na véspera, ninguém pode ser contaminado?