A escalada autoritária do Supremo Tribunal Federal (STF) através do inquérito que investiga supostas fake news, assim como a decisão que, na prática, fechou o jornal Folha Política, foram assunto de um vídeo do pastor Silas Malafaia, que definiu o cenário como uma “ditadura”.

Inicialmente, o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) destacou o único voto contrário ao inquérito entre os ministros da Suprema Corte, reproduzindo suas palavras para adjetivar a ação em curso: “O voto do ministro Marco Aurélio é uma cacetada nessa tirania do STF. Vou ler para vocês: ‘Estamos diante de um inquérito natimorto, um inquérito do fim do mundo, sem limites. Se o órgão que acusa é o mesmo que julga, não há garantia de imparcialidade’. Várias associações do Ministério Público têm denunciado esse abuso de competência do STF e a imprensa não dá destaque”.

As manifestações dos procuradores, em oposição à usurpação de função, também foram pontuadas pelo pastor: “Membros do Ministério Público estão indignados com o STF. Não pertence ao juiz, mas ao Ministério Público o sistema acusatório. São eles os senhores da ação penal. […] A vítima não pode processar e julgar”.

“Quer dizer que o senhor Alexandre de Moraes manda na casa das pessoas para tentar ver se consegue arrumar alguma coisa dessas pessoas a seu favor, que é vítima. Isso é um absurdo! Ninguém pode ser processado porque dá dinheiro a sites, seja da direita ou da esquerda. A pessoa é livre. Mais um abuso e absurdo, mandando fechar sites, suspender matérias. Aonde nós vamos parar?”, questionou, indignado.

ANÚNCIO